• Alana Anijar

Autocompaixão: Características e Vilões

Eu ando falando muito sobre reconhecer suas emoções e aceitá-las. Falei que desenvolver Inteligência Emocional é importante, que você deve ampliar seu alfabeto de sentimentos, que você deve conhecer seus gatilhos e respostas emocionais. No entanto, fazer tudo isso pode ser desafiador. Exige que você seja gentil consigo mesma(o), olhando a si mesma com compreensão quando passar por momentos difíceis e/ou não reagir a eles como gostaria. Chamamos essa gentileza de “autocompaixão”.




Note que autocompaixão não é tolerar todos os seus erros de forma extrema, e nem exagerar seu próprio sentimento a despeito das outras pessoas. Em vez disso, a autocompaixão é formada por estas três características principais:


1- Gentileza consigo mesma: Reconhecer que ser imperfeita, errar e enfrentar momentos difíceis é inevitável. Reconhecer e aceitar as próprias emoções.


2- Humanidade comum: Reconhecer que errar e sofrer faz parte de ser humano. Todos os seres humanos compartilham de necessidades e expectativas parecidas. Entender que não se está sozinha ao enfrentar um momento difícil. Ser capaz de pedir ajuda quando necessário.


3- Atenção plena: Observar seus próprios pensamentos, sentimentos e ações sem julgá-los ou suprimi-los. Estar consciente do que sente e do que precisa.


Para exercitar esses três elementos da autocompaixão, precisamos combater alguns vilões, que a impedem de se manifestar. São eles:


1- Autocrítica extrema: Não aceitar seu estado atual e suprimir emoções, desprezando sua própria dor e sofrimento.


2- Isolamento: Sentir que você é pior que os outros por sofrer, e se isolar por não acreditar que o conforto de outras pessoas poderia lhe ajudar. Sentir que só você passa por determinada dificuldade.


3- Super identificação: Acreditar que determinada dificuldade vai lhe acompanhar para sempre. Não perceber que toda emoção é temporária e que toda dor pode ser superada. Vestir uma determinada emoção como uma "lente" e distorcer toda a realidade por conta dela.


Ser autocompassivo pode parecer uma tarefa difícil, mas é importante lembrar que todas(os) nós estamos em um constante processo de aceitação, amor próprio e amadurecimento emocional. Para exercitar a autocompaixão, lembre-se que falhar e ser imperfeita(o) é completamente normal, e que ser gentil consigo mesma(o) é o que vai lhe permitir melhorar e evoluir a cada dia.


742 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo