• Alana Anijar

Divertidamente: Uma animação para aprender mais sobre as emoções

Hoje, a postagem vai ser um pouquinho diferente: vim recomendar a vocês uma filme de animação que fala sobre emoções, memórias, personalidade e como tudo isso se relaciona. O filme se chama “Divertidamente”, foi dirigido por Pete Docter e lançado em 2015.


Em resumo, o filme conta a história de uma menina de 11 anos chamada Riley, que se muda de Minnesota para São Francisco (Estados Unidos) com seus pais. Por conta da mudança, ela precisa lidar com emoções afloradas: medo, raiva, desgosto, tristeza e alegria. As emoções são representadas por personagens que interagem entre si dentro do cérebro da Riley.





Lembra daquela postagem sobre o Atlas das Emoções? No Atlas, Paul Ekman e seu grupo de pesquisadores classificou nossos sentimentos em 5 emoções básicas que, não por coincidência, são as 5 personagens que representam as emoções em Divertidamente! Durante o filme, as personagens que representam emoções também recordam memórias-base da Riley, seus sonhos e seu inconsciente. Já deu pra imaginar o quanto podemos aprender sobre Inteligência Emocional com elas, né? Aqui estão alguns aprendizados:


1- Não existe emoção “boa” ou “ruim”: durante o filme, Riley passa por situações diversas, em que todas as emoções se mostram necessárias. Com isso, aprendemos que reconhecer e aceitar as emoções é mais importante do que aumentá-las ou suprimi-las.


2- Nossas memórias são influenciadas pelas nossas emoções: em alguns momentos do filme, as personagens que representam emoções “brigam” por uma memória que marcou a vida de Riley. Quando uma emoção encosta em uma memória, Riley passa a lembrar daquele momento a partir dessa emoção. Isso nos ensina que estar consciente de como nos sentimos nos momentos em que vivemos nos ajuda a ter memórias mais concretas e reais sobre o que passamos.


3- Alegria demais pode ser ruim: em alguns momentos do filme, a personagem “Alegria” tenta tomar o controle das situações. Quando isso acontece, nos distanciamos da realidade como ela é, e temos mais dificuldade de empatizar com os outros.


4- Tristeza também é necessária: no filme, “Alegria” se esforça constantemente para suprimir a Tristeza. No entanto, aprendemos que não se é feliz o tempo todo, e que, em algumas situações da vida, a tristeza nos alerta sobre como devemos agir.


5- Medo, desgosto e raiva também têm papeis importantes: o medo e o desgosto nos protegem; a raiva ajuda a moldar nosso senso de justiça e nos ensina a nos defendemos. É claro, como todas as emoções, nossa resposta a elas deve ser sensata, mas isso não diminui sua importância.


6- Memórias podem ser apagadas, e isso pode ser bom: o filme mostra algumas memórias de Riley caindo no esquecimento e virando poeira. Isso é natural e é um processo que nosso cérebro tem para superar traumas e situações difíceis.


Esses são apenas alguns aprendizados que podem ser extraídos de Divertidamente! Se você gostaria de aprender mais sobre Inteligência Emocional de forma leve e divertida, assista ao filme!

719 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo